Avatar

domingo, 7 de dezembro de 2014

Outros Roteiros para as Férias: Espiritismo no Brasil

Olá amigos, nos desculpem pela demora nas postagens, mas estávamos buscando outras rotas interessantes para postarmos e compartilharmos com vocês.

Além da rota Chico Xavier temos outras três cidades que valem a pena a visita, separamos algumas que encontramos na internet. Quem souber de outras, fique a vontade para comentar! Neste post: São Paulo, Curitiba e Matão.




ICESP - Instituto Cultural Espírita e Museu Espírita de São Paulo

Fundado em 1982.Endereço: Rua Guaricanga, 347/349 – Lapa
Telefones: (11) 3834-6225 / 3834-4701

Atividades e horários

2ª feira

Estudos doutrinários e educação mediúnica - 20h15

3ª feira 

Estudos doutrinários e educação mediúnica – 15h
Evangelização e assistência espiritual – 20h15

4ª feira

Estudos doutrinários e Filosofia Espírita - 20h15

5ª feira

Evangelização e assistência espiritual – 14h30
Atendimento à família e às gestantes – 14h30

Sábado

Estudos doutrinários - 20h15
Evangelização e assistência espiritual – 20h15
Retiramos este texto do Portal do Espírito:


O Museu Espírita foi inaugurado em 1997, mas a idéia é bem mais antiga, e está ligada às atividades do dr. Paulo, filho de Américo Bairral, que, por sua vez, foi o fundador do Instituto Bairral, hoje um dos centros de psiquiatria mais conceituados do mundo (veja matéria sobre o Instituto Bairral na Espiritismo & Ciência número 1). "Eu sou de família espírita", explica o dr. Paulo Toledo Machado, "e desde 1946 já era presidente de um centro espírita, no bairro da Pompéia, em São Paulo. Nessa ocasião eu era professor". Dr. Paulo nasceu em Itapira e, após o desencarne de seu pai, em 1931, e depois da revolução de 32, ele veio para São Paulo.

Inspiração


Basicamente, três fatores contribuíram para que a idéia do museu nascesse e se desenvolvesse até seu estágio atual. Primeiro, o fato do dr. Paulo ter nascido em berço espírita, como ele explica. Não tinha, então, a idéia materializada de um museu, mas sim de juntar documentação sobre o Espiritismo. Esse material vai sendo coletado e guardado ao longo da vida e, quando se percebe, já se tem um museu. Em segundo, concorreu o fato dele já ser um dirigente de centro espírita em 1946, procurando dar a esse centro uma cultura espírita, algo que não acontecia muito na época. 

"As pessoas iam aos centros procurando mais a parte mediúnica do Espiritismo", ele explica. "Eu criei uma biblioteca no centro e, na época, uma biblioteca num centro espírita em São Paulo não era muito comum. Na minha terra, em Itapira, o espiritismo sempre foi kardecista; cada dia da semana, se estudava uma obra de Kardec. Então, criamos uma biblioteca".
Quando tinha 22 anos de idade, foi fundada a Mocidade Espírita da Lapa, com Paulo Toledo escolhido para ser diretor de estudos. Ao estudar a parte histórica do Espiritismo, os integrantes do grupo de estudo perceberam que Kardec tinha pensado na elaboração de um museu espírita, noventa dias antes de desencarnar.

 "Ele fez referência a essa idéia na Revista Espírita de dezembro de 1868", explica Paulo. "Kardec disse que havia recebido oito telas de um famoso pintor francês, e até descreve as telas: duas de Cristo, três de Joana D'Arc, uma de Jan Huss, um auto-retrato do autor e uma pintura de Kardec. Ele só não falou quem era o pintor". Assim, esse foi o terceiro e decisivo fator a inspirar a criação de um museu espírita. "De certa forma, estamos realizando o sonho de Kardec, com a criação de um museu espírita".
Posteriormente, realizando investigações na França, dr. Paulo descobriu que o pintor em questão chamava-se Monvoisin (Raymond Auguste Quinsac Monvoisin, 1794 – 1870), e de fato era bastante conhecido na época. Ele, inclusive, esteve no Brasil, pintou um retrato de D. Pedro II e, em 1847, recebeu a Ordem do Cruzeiro, uma das principais condecorações do país.

Para o futuro, o museu também vai contar com uma Pinacoteca Espírita, que já se encontra em fase de construção, com um prédio anexo ao do museu e do ICESP. Para tanto, Paulo também espera contar com a colaboração de artistas que tenham obras do gênero, e que queiram participar com obras mediúnicas ou que tenham relação com o Espiritismo.
Uma visita ao museu é indispensável a qualquer espírita que more ou esteja visitando São Paulo. É um exemplo do que pode ser realizado com amor, força de vontade e muita inspiração.


MUSEU NACIONAL DO ESPIRITISMO


O MUSEU NACIONAL DO ESPIRITISMO – MUNESPI, nasceu simultaneamente com a S.B.E.E., quando da transformação do Centro Experimental de Estudos Espíritas Afonso Pena em Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas. Seu objetivo fundamental é o de atuar como agente de promoção da cultura Espírita, em âmbitos Municipal, Estadual e Nacional.
O acervo do MUNESPI compreende objetos e documentos relativos à História do Movimento Espírita Brasileiro e de seus principais Médiuns, bem como o produto resultante do processo mediúnico: Fotografias, Gravações em Fitas Magnéticas, Psicografias, Psicopictografias, Materializações , etc.
No acervo há cerca de 100 peças raras de parafina, espécies de moldes do que seriam partes dos corpos dos espíritos. Esses moldes são produzidos no processo de materialização desses espíritos em reuniões mediúnicas nos Centros Espíritas, com o objetivo de estudos dos fenômenos de efeitos físicos.
O Munespi fica na Rua Guilherme Ihlenfeld, 663 Vila Tingui – Curitiba – PR
Telefone: (41) 9917-9398

MUSEU BIOGRÁFICO CONTA A HISTÓRIA DE CAIRBAR SCHUTEL













Inaugurado em 13 de novembrode 2013, por iniciativa da Editora o
Clarim,Memorial Cairbar Schutel é um museu biográfico construído na 
antiga Casa de Cairbar, que traz documentos,fotografias, móveis e objetos 
pessoais que foram guardados e preservados por membros da 
sociedade espírita de Matão, desde a década de 1930.

A estruturação e montagem do 
Memorial durou cerca de nove meses, 
período que envolveu as etapas de curadoria, pesquisa, higienização do acervo e
concepção do espaço expográfico. 

O acervo contém livros, material farmacêutico-frascos de remédio e instrumentos
objetos de uso pessoal, fotografias, correspondências, cadernos de anotações e
de atas,
livros de registros, documentos oficiais e edições do jornal O Clarim e da
Revista Internacional do Espiritismo (RIE).

O espaço foi dividido em salas temáticas que expõem em cada ambiente
a produção intelectual de Cairbar Schutel; o trabalho como divulgador da dou
trina espírita, que compreende a fundação do jornal O Clarim e da Revista 
Internacional do Espiritismo, além dos livros por ele escritos; sua atuação social, na Farmácia Schutel e as obras de caridade; um ambiente que apresenta a linha do tempo da
sua história de vida e atuação política; o seu dormitório, mantido na localiza
ção original e mobiliado com as peças originais; e, por fim, a sala principal, que 
apresenta a relação de Schutel com a doutrina espírita.


O Memorial Cairbar Schutel está localizado na Avenida 28 de Agosto, 780, no  
Centro, e está aberto à visitação pública individual ou em grupos 
(inclusive escolares) mediante agendamento prévio, inclusive nos finais de
semana, através do telefone (16) 3382-1066, em horário comercial,
ou pelo e-mail memorial@oclarim.com.br.


video do memorial: