Avatar

domingo, 14 de dezembro de 2014

Maria de Nazaré: Aparições e Milagres na Visão Espírita

CORPO INCORRUPTO DA VENERÁVEL SANTA MARIA DE JESUS AGREDA, EM TOLEDO - ESPANHA. (NO DETALHE: AS MÃOS)


Olá amigos, boa tarde a todos!
Seguimos hoje com o tema aparições e milagres, nosso segundo e último post sobre Maria de Nazaré.


Sobre Aparições e Milagres Em Geral


Dentre as manifestações espíritas,uma das que mais chama nossa atenção são aquelas pelas quais os Espíritos podem se tornar visíveis, seja no estado de vigília ou sono.Não estamos, no entanto, contextualizando neste cenário as materializações, embora estas também sejam não apenas provas incontestáveis como também ocorreram entre os chamados santos (alguns entre os quais são espíritos elevados) incluindo espíritos de toda espécie (independente do grau de evolução espiritual).

"Enquanto o corpo repousa o Espírito se desprende dos laços materiais, fica mais livre e pode mais facilmente ver os outros Espíritos e entrar em comunicação com eles. O sonho é uma recordação desse estado. Quando não nos lembramos de nada, dizemos que não sonhamos, mas a alma não deixou de ver e de gozar da sua liberdade.

 Tratamos aqui mais particularmente das aparições no estado de vigília. 

Os fenômenos de aparição são muito mais frequentes e gerais do que se pensa, mas muitas pessoas não os revelam por medo do ridículo e outras os atribuem à ilusão. Se parecem mais abundantes em certos povos é porque esses conservam mais cuidadosamente as tradições verdadeiras ou falsas, quase ampliadas pelo fascínio do maravilhoso, a que o aspecto das localidades se presta mais ou menos. A credulidade faz ver, então, efeitos sobrenaturais nos fenômenos mais vulgares: o silêncio da solidão, o escarpamento dos caminhos, o rumorejar das florestas, o estrépito das tempestades, o eco das montanhas, a forma fantástica das nuvens, as sombras, a miragens, tudo enfim se presta a ilusão das imaginações simples ingênuas, que propagam de boa fé aquilo que viram ou que acreditam ter visto. Mas ao lado da ficção há o real, que o estudo sério dos Espiritismo consegue livrar dos acessórios ridículos da superstição.

A visão dos Espíritos pode ocorrer em condições perfeitamente normais; entretanto, as pessoas que os veem estão quase sempre num estado especial, próximo do êxtase que lhes dá uma espécie de dupla vista. 

Os que veem os Espíritos pensam que o fazem com os olhos, mas na realidade é a alma que vê. A prova é que podem vê-los mesmo de olhos fechados.

O princípio com que faz o Espírito tornar-se visível é o mesmo de todas as manifestações e está nas propriedades do perispírito, que pode sofrer diversas modificações, à vontade do Espírito." - A era do espírito.

Maria de Nazaré que em cada local de sua aparição recebe um nome regional, de acordo com os relatos divulgados nas mídias, livros ou em narrações de alguns indivíduos encarnados (independente do crédulo) apontam geralmente a mesma direção: são mensagens nas quais solicita maior conscientização dos homens, reforçando a importância das preces, da busca pela harmonia entre os seres humanos e da paz como caminho.

Observando os efeitos físicos provenientes de Maria de Nazaré temos a considerar que buscam atestar sua presença e aparição, seja no caso de impressões de rosto, flores, materializações de flores e pequenos objetos e assim por diante. Observando um pouco mais a fundo, em nada se difere do que temos na doutrina Espírita bem explicado.

Os fenômenos portanto se repetem, seja de materialização ou demais efeitos físicos que encontramos na história das aparições e milagres de Maria de Nazaré.A diferença, se quisermos apontar alguma, é a de uma pertencer ao crédulo católico, o que em nada altera a essência dos fatos.

No tocante aos pedidos de prece e busca pelo equilíbrio, tarefa individual, também os temos no espiritismo, na máxima expressão "orai e vigiai", assim no Espiritismo temos a presença das preces como nos advertem as mensagens advindas de Maria, incluindo o Evangelho no Lar.

Em relação aos milagres atribuídos à Maria de Nazaré, temos no Espiritismo que estes não existem na forma como é narrado e contextualizado pelo catolicismo, temos em Allan Kardec no livro  “A Gênese – Os milagres e as predições segundo o Espiritismo” a explicação pormenorizada.

Ponderando sobre a atitude divina, Léon Denis (1846-1927), um dos principais continuadores do espiritismo após a morte de Allan Kardec, escreve: O milagre é uma postergação das leis eternas fixadas por Deus, obras que são da sua vontade, e seria pouco digno da suprema Potência exorbitar da sua própria natureza e variar em seus decretos. 
Deus faz milagres? Em princípio, até poderia fazer, se verdadeiramente acreditarmos que para Ele tudo é possível.
E por que faria, se Ele mesmo criou leis perfeitas? O fato é que tudo o que é perfeito não carece de modificação ou de aperfeiçoamento, pois tudo nele já está previsto e providenciado, sem nada a corrigir nem improvisar!
No entanto, a explicação espírita para os milagres defende que, na maneira de agir de Deus, não existe o regime de exceção e de privilégios, nem de exclusão ou de derrogação de Suas leis. E esse ensino encontra-se, principalmente, na obra A GÊNESE, OS MILAGRES E AS PREDIÇÕES SEGUNDO O ESPIRITISMO, em seu capítulo. XIII, denominado “Caracteres dos milagres”.
Nele, Allan Kardec leciona que os milagres desaparecem na proporção exata do avanço do conhecimento científico dos processos da natureza:
Foram fecundos em milagres os séculos de ignorância, porque se considerava sobrenatural tudo aquilo cuja causa não se conhecia. À proporção que a Ciência revelou novas leis, o círculo do maravilhoso se foi restringindo; mas, como a Ciência ainda não explorara todo o vasto campo da Natureza, larga parte dele ficou reservada para o maravilhoso.
(...) O Espiritismo, pois, vem, a seu turno, fazer o que cada ciência fez no seu advento: revelar novas leis e explicar, conseguintemente, os fenômenos compreendidos na alçada dessas leis.
Esses fenômenos, é certo, se prendem à existência dos Espíritos e à intervenção deles no mundo material. 

Compartilhamos um link da FEB com outros materiais para que desejar acessar : 

http://www.febnet.org.br/wp-content/uploads/2012/06/Mod-2-Rot-7-Fenomenos-psiquicos-no-Evangelho.pdf


Algumas Aparições de Maria

O primeiro paradigma que devemos quebrar quanto às aparições de entidades elevadas é a hipótese de que elas só aparecem para "pessoas importantes" ou conhecidas e nunca, jamais, para pessoas como nós ou vocês leitores. Espíritos Superiores não fazem acepção de pessoas, mas é claro que não aparecem, jamais, senão para tratar de algum assunto importante e comumente de ordem geral e não pessoal.


Temos 3 casos onde isso ocorreu:

Abaixo, no documentário sobre a vida de Eurípedes Barsanulfo temos uma passagem onde Maria se comunica com ele e o próprio não acredita e tenta expulsá-la da sala, pensando tratar-se de um assediador espiritual. Ela porém o faz entrar em transe e escreve uma psicografia com algumas recomendações.



Abaixo temos uma entrevista muito interessante com o médium católico Pedro Siqueira onde ele fala sobre o seu contato com o mundo espiritual, bem como de seus contatos com Maria.







Dentre estes inúmeros relatos divulgados em todo mundo, separamos um que foi analisado, por sinal, em reunião mediúnica:

  Em uma visão com Maria, a qual apareceu estando a pessoa entre o estado de sono e vigília, porém guardando bem a comunicação e detalhes da visão, o indivíduo pôde observar uma imagem se aproximar, sendo semelhante a de um anjo tocando trombeta como quem anunciasse uma outra aparição na sequência.

De fato, seguindo a visão, surgiu Maria que comunicou-se solicitando auxílio e amparo aos irmãos encarnados na terra, em missão que se fazia necessária, divulgando e operando através da espiritualidade.

Nas imagens que se formaram, estavam então um homem semelhante a um anjo e Maria. Atrás de Maria, um número imenso de pessoas a chorar solicitando amparo e luz. Podemos imaginar que a cena não foi, na realidade, das mais agradáveis pela visão dos sofrimentos de muitos, mas, recordou o amigo, que a visão detalhamos aos amigos, que Jesus como temos nos livros, disse em certa feita que a seara é grande e muitos são os convocados - seja através de uma visão ou de um chamado íntimo.

Após esta visão ser narrada, no intuito de obter maior esclarecimento, a mesma foi debatida em reunião mediúnica.Os mentores então afirmaram que muitos estão recebendo esta mesma comunicação, que Maria pôde, ao se utilizar de recursos como observamos no filme Nosso Lar, se comunicar com muitos encarnados sem que houvesse necessidade física (materialização) mas sim um comunicado à longa distância.

Deste modo foram iniciados trabalhos de amparo a desencarnados além de reuniões de instruções mediúnicas, que vezes compartilhamos aqui no blog aos nossos amigos.Cremos que independente dos crédulos, nossos amigos espirituais nos acompanham e nos recordam de nossas programações feitas no plano espiritual, com objetivos mais amplos, não com objetivos a atender apenas um ou dois indivíduos, mas ao maior número de pessoas, nos ofertando não apenas conhecimentos e reflexões, mas uma certeza que pulsa no coração.