Avatar

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Série de Estudos Fenômenos: Ideoplastia - diferenças entre Materializações Anímicas e Mediúnicas


Amigos, no último post falamos sobre as materializações e materializações luminosas, mas acreditamos ser válido falarmos ainda sobre a ideoplastia.

Até para que possamos diferenciar, visto que algumas imagens sobre materializações espalhadas na internet, na realidade são,algumas, de formas pensamentos, também passíveis de serem fotografadas ou ainda de obras que trazem o tema e discussões, nem sempre de fácil entendimento.
Deste modo, postamos para que verifiquem as diferenças e semelhanças.Esperamos que gostem.

Antes de iniciarmos, é um tema difícil e seu estudo requer a compreensão de variadas obras, há sutileza a ser percebida entre as materializações e as ideoplastias.



***



clique para ampliar
Em geral, usa-se o termo materialização para se referir a aparição tangível de um Espírito desencarnado, fazendo uso de fluidos sutis, onde o principal fluido usado é o Ectoplasma. O termo ideoplastia está ligado à formas-pensamento objetivadas, sejam por Espíritos encarnados, sejam por Espíritos desencarnados, fazendo uso, também do Ectoplasma. O termo ideoplastia se refere a modelagem da matéria(nesse caso o Ectoplasma) através da ideia, ou seja do pensamento. Como vimos no post anterior,Série Fenômenos Mediúnicos: Materializações e Fenômenos Luminosos, o Ectoplasma é um tipo de fluido altamente sensível a ação psíquica(mas não o único !), seja de encarnados, seja de desencarnados. É através da ideoplastia que muitas coisas que, a uma primeira vista poderiam ser consideradas estranhas e causar incredulidade quanto aos fenômenos de materialização se tornam possíveis. Poderíamos nos perguntar: de onde vêm aquelas roupas usadas pelos Espíritos, roupas essas que não apresentam sinal de terem sido tecidas, ou seja, não apresentam costuras(quando não se tratam de roupas levadas ao ambiente através de fenômenos de transporte) ? de onde vêm aqueles véus usados por eles para ocultar seu rosto ? De onde veio essa roupa de um aspecto fluídico e sutil ? Indo um pouco mais longe: como é possível a um Espírito aparecer para um médium usando roupa, chapéu e bengala ? Tudo isso tem uma mesma explicação: ideoplastia.






Forma Pensamento


Mais uma vez podemos averiguar o pensamento como ação, e estes criam, geram formas como poderemos ver na sequência da postagem. A ideoplastia é o pensamento do encarnado ou do desencarnado agindo sobre o ectoplasma ou outro fluido sensível a ação psíquica, mormente quando este pensamento interage com sentimentos, sejam estes bons ou ruins. 

Emanamos energias através dos pensamentos, sendo importante, portanto, nos responsabilizarmos pelos nossos pensamentos, estando aí também o vigiai, que temos na doutrina.

Abaixo, vemos algumas formas-pensamento ideoplásticas(clique nelas para ampliar) plasmadas por espíritos em reuniões de materialização ocorridas no estado do Pará,no início do século passado, com a médium Anna Prado.  Essas formas foram plasmadas e em seguidas imersas em um balde com parafina, para que sua forma permanecesse modelada para exibição futura, quando a forma tivesse perdido sua força e desaparecido. Tais fotos estão presentes no livro: O Trabalho dos Mortos de Nogueira de Faria.







"Entendendo-se que os poderes mentais são inerentes tanto às criaturas desencarnadas quanto às encarnadas, é natural que os elementos plásticos e organizadores da ideia se exteriorizem dos médiuns, como também dos companheiros que lhes comungam tarefas e experiências, estabelecendo-se problemas espontâneos, cuja solução reclama discernimento" - André Luiz em Mecanismos da Mediunidade


Na figura ao lado há um esquema do pensamento agindo sempre, uns desequilibrados e outros equilibrados, notem os sentimentos empregados em cada qual. Em locais que os pensamentos são muito desequilibrados, algumas pessoas podem perceber este como mais denso,pesado, o que pode sem dúvida incluir pessoas também.O problema está exatamente quanto mais densos são estes pensamentos plasmados, e é proporcional ao emprego dos sentimentos. Quanto mais densos os pensamentos, mais perceptíveis o são. Esses pensamentos, de todas as pessoas em um ambiente qualquer, criam a chamada psicofera do ambiente, isso se dá pela ideoplastia provocada pela resultante dos pensamentos de todas as pessoas do ambiente em meio aos fluidos sutis e sensíveis à ação psíquica que envolve a tudo no espaço.
Usando o Ectoplasma,
uma imagem é ideoplasmada pela médium





No tocante as materializações, como todo fenômeno mediúnico, é possível que haja a interferência anímica (provocada pelo médium) e as materializações não fogem ao curso natural. Eis aí o embate das diferenças entre anímico e mediúnico.






Na Imagem ao lado vemos, perto da mão da médium, que libera Ectoplasma pelo nariz e boca, uma  imagem ampliada, ideoplasmada pela médium durante a extração do Ectoplasma.
Vejamos algumas análises utilizando para tanto o que temos relatado na doutrina e obras, lembrando que aí está também a explicação para o que chamamos de zoantropia ou licantropia:


Encontramos aí está a explicação para os fenômenos conhecidos como zoantropia, onde os Espíritos assumem formas animalescas, total, ou parcialmente. A expressão zoantropia, por seu sentido amplo, vem sendo sugerida, ultimamente, em lugar de licantropia que, etimologicamente, significa estudo sobre o homem-lobo.É de referir-se, ainda, os casos dos Espíritos que, quase sempre com o propósito de amedrontar para melhor alcançar seus objetivos, apresentam-se com aspectos monstruosos e apavorantes, até mesmo assumindo formas de entidades da cultura popular como de satanás, por exemplo, o limite é o pensamento.




A todas essas transformações operadas pela mente dá-se o nome de ideoplastia ( do grego ideo = idéia +plastos = forma + ia = estudos, análise) ou seja estudo da modelagem através do pensamento.Assim se explicam também as plasmagens observadas algumas vezes nas saídas do corpo(desdobramentos, experiências fora do corpo), onde vemos relatos de "personagens" variados, na realidade são plasmagens, são figuras adotadas, idealizadas, geradas... a isso devemos o uso destas pois estão arraigadas ainda e infelizmente a ignorância acreca dos processos ideoplásticos leva a ideia de que vales de sombras, figuras mitológicas, figuras demoníacas... que não há! Tratam-se de construções mentais de pessoas ainda pressas a essas ideias.


Segundo ensina André Luiz, ao abordar a ideoplastia: 

"(...) o pensamento pode materializar-se, criando formas que muitas vezes revestem de longa duração, conforme a persistência da onda em que se expressam.(...)"

As materializações constituem outro exemplo de plasmagem realizada pelos Espíritos, nas sessões de efeitos físicos, com a utilização de elementos plásticos exteriorizados pelos médiuns e pelos outros participantes dessas reuniões; componentes fluído-plásticos da Natureza.

"(...) Por análogo efeito, o pensamento do Espírito cria fluidicamente os objetos que ele esteja habituado a usar.(...)" 

Como dito no início do artigo. isto não se restringe a objetos de uso pessoal, como é o caso do cachimbo, óculos, bengala, faca, chapéu, etc. Mas se estende a coisas como casas, prédios, jardins, móveis, veículos, alimentos, instrumento de toda ordem.Alguns têm existência tão fugidia quanto a duração do pensamento; mas outros persistem longamente, como já citado.


No plano dos Espíritos, suas criações fluídicas são tão reais que assumem, para eles, o mesmo aspecto que as coisas materiais para os encarnados.


Outra questão a considerar é que o pensamento, ao criar imagens fluidicas, se reflete no perispírito do Espírito a que pertence, como num espelho, aí adquirindo corpo e, de alguma maneira, se fotografa.Para melhor entendimento de como isso se passa, explica-nos Kardec.



"(...) Tenha um homem, por exemplo, a idéia de matar a outro: embora o corpo material se lhe conserve impassivel, seu corpo fluídico é posto em ação pelo pensamento e reproduz todos os matizes deste último; executa fluidicamente o gesto, o ato que intentou praticar. O pensamento cria a imagem da vitima e a cena inteira é pintada, como num quadro, tal qual se lhe desenrola no espírito(...)."

Reflexões sobre o tema e a doutrina como um todo:


Estamos a todo instante interagindo uns com os outros e sendo tudo energia, passamos a compreender e perceber o emprego dos conceitos ensinados na própria ciência, incluindo o magnetismo no processo. Deste modo o que antes era visto como um fenômeno sobrenatural deixa de assim ser considerado,mais uma vez, dando espaço à lógica. Criamos com nossos pensamentos pelo fato destes serem energia e, havendo fluidos combinados, há então o que vemos como um fato na ideoplastia.



Assim, a ideoplastia e a materialização são fenômenos que se cruzam, porém guardam suas diferenças. 


Se refletirmos sobre os estudos veremos que estão todos encaixados de modo a entendermos o todo, observem que as leis como de ação e reação, entre outras se justapõem assim como os fenômenos em si.Os sentimentos são a base a ser equilibrada sempre, é através destes sentimentos que agimos ou reagimos, que nos interagimos uns com os outros. Estas relações que mantemos cabe sempre à nossa escolha - livre arbítrio.



O que decidimos pelo livre arbítrio projetamos ao nosso redor, independente do que seja, e colhemos o que plantamos pois como poderia ser diferente? O progresso, instinto e todas as demais leis divinas e morais tem relações como podemos concluir. Fica fácil compreender as influências, seja de encarnados ou desencarnados..iniciando no pensamento, nas ideias fixas, nos sentimentos.Por que sentimos essas impressões geradas pelos pensamentos de pessoas e objetos? porque lá estão, percebam que locais e pessoas transmitem-nos impressões, sensações.O que faz a vontade predominante? Exercer um ato e sendo todos nós livres para atuar, explica-se o porque acontecem tragédias como as que vemos, onde uma vontade pode ceifar vidas alheias.Onde vontades podem exercer obsessões variadas. E o progresso está na melhoria destas vontades.Os estágios evolutivos também nos demonstram e explicam porque uns conseguem agir dentro da moralidade e outros não.



Explica as expiações,provas..enfim..juntemos o que nos diz a doutrina e vejamos como está tudo cruzado e bem explicado.Não são fenômenos extraordinários portanto. E onde estão empregados os sentimentos? Em tudo..inveja, egoísmo, vaidade, amor,perdão,etc.determinando atos e suas  consequências. Por que em algumas obras sobre ideoplastia e formas pensamento vemos que os espíritos mostram já saber de antemão as ideias dos encarnados? Porque já os vê pelo pensamento.Esta reflexão é importante para entendermos as partes de um todo, os motivos, os estudos, o que nos cerca e influencia.E começa em nós mesmos.Todo processo começa em cada um de nós, naquilo que queremos, desejamos, pensamos e como agimos.


Deus é justo, as escolhas são nossas.E por que refletir sobre estas questões no post de ideoplastia? Porque como já dito anteriormente, não envolvem apenas médiuns, como mostrado no post - quando envolve, é um fenômeno anímico, mas percebam que a ideoplastia vai além do círculo mediúnico, razão pela qual achamos oportuno conscientizarmos e intentarmos uma análise global.

Reflitamos sempre. Esperamos ter tornado possível a compreensão sobre as diferenças entre ideoplastia e materializações.Grande abraço!