Avatar

quinta-feira, 13 de março de 2014

Diferença entre Espiritismo e Espiritualismo


- Espiritualismo 

Doutrina filosófica que admite a existência de Deus e da alma. Contrapõe-se ao Materialismo, que só admite a matéria. Segundo o Materialismo no ser humano só haveria o corpo físico. 

Até as funções superiores como a memória, o raciocínio, as emoções, os sentimentos poderiam ser reduzidos a simples reações físico-químicas do sistema nervoso, do sangue, das glândulas internas. O Universo seria formado por acaso e seria explicado dentro das leis das ciências exatas (Matemática, Física, Química, Astronomia etc.). 

Esta é a tese do Materialismo Filosófico, que não deve ser confundido com o Materialismo Pragmático e Hedonista adotado por aquele que, embora se diga até mesmo religioso, só quer mesmo é gozar os prazeres da vida terrena, nem que seja em cima da miséria alheia. Todos os religiosos, como aceitam a Alma e Deus, são, por isto mesmo, espiritualistas. 

Assim, a pala espiritualista tem significado muito vasto, abrangendo o católico, o protestante, o umbandista, o candomblecista, o israelita ou judeu, o islâmico ou maometano etc.

- Espiritismo

 Doutrina filosófica também espiritualista, mas que se diferencia das outras correntes filosóficas por Ter características bem definidas, a saber: 
 – concepção tríplice do homem: Espírito – Perispírito – Corpo Físico; 

 – sobrevivência do Espírito como individualidade; 

 – continuidade da responsabilidade individual; 

 – progressividade do Espírito dentro do processo evolutivo em todos os níveis da natureza; 

 – comunicação mediúnica disciplinada voltada para o esclarecimento e a consolação de encarnados e desencarnados; 

 – volta do Espírito à matéria (reencarnação) tantas vezes quantas necessárias para alcançar a perfeição relativa a que se destina, não admitindo, no entanto, a metempsicose, ou seja, a volta do Espírito no corpo de animal para pagar dívidas, como aceita o Hinduísmo. 

Conforme o Espiritismo, o Espírito não retroage; 

 – ausência total de hierarquia sacerdotal; 

 – abnegação na prática do bem, ou seja, não se cobra nada por esta ou aquela atividade espírita, logo não há consultas com cartomantes, jogadores de búzios, leitores de mão e etc.

 – terminologia própria, como por exemplo, perispírito, Lei de Causa e Efeito, médium, Centro Espírita, e não corpo astral, karma, Exu, Orixá, "cavalo", "aparelho", "terreiro", "encosto", vocábulos utilizados por outras escolas espiritualistas, o que, não obstante, possuem,algumas vezes, significados próximos às definições espíritas citadas anteriormente.

 – total ausência de culto material (imagens, altares, roupas especiais, oferendas, velas etc.); 

 – na prática espírita não há batismo nem culto ou cerimônia para oficializar casamento; 

 – respeito a todas as demais religiões, embora não incorpore a seu corpo doutrinário os princípios e rituais delas; 

 – a moral espírita é a moral cristã: "Fazer ao próximo aquilo que dele se deseje"curso de photoshop

Resumindo: todo Espírita é Espiritualista, mas nem todo Espiritualista é Espírita.