Avatar

sábado, 29 de novembro de 2014

Entrevista com Edson Audi, Cineasta, Diretor de " Herculano Pires, Um Convite para o Futuro"



Olá amigos ! 

Dando prosseguimento ao nosso segundo post sobre o documentário "Herculano Pires, um convite para o futuro", disponibilizamos agora a entrevista mencionada no post anterior, realizada com o diretor do documentário, Edson Audi.

Audi também foi o diretor do documentário "Allan Kardec, o Educador", que contou com a participação de Dora Incontri, pesquisadora e Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo.

Gostaríamos de agradecer aqui, publicamente, a simpatia com a qual nos atendeu ao pedido de entrevista !

Esperamos que gostem, um grande abraço a todos !


ENTREVISTA COM EDSON AUDI 

Edson Audi, nos conte como surgiu a ideia de realizar a obra Um Convite para o Futuro. 

 

https://pbs.twimg.com/profile_images/337954461/EDSON-12.jpg
Edson Audi
Tive o privilégio de ser escolhido e convidado pela Fundação Maria Virgínia e J. Herculano Pires, o que muito me honrou. No passado eu havia lido A agonia das religiões e nunca mais me esqueci, fiquei marcado pela força, capacidade de análise, síntese e pela contemporaneidade da obra. Herculano viveu seu tempo, está no agora e vive no futuro. Como gosto de ser bem profissional e muito cauteloso, neste filme fala sobretudo o cineasta que sou, o espirita de bom senso exige isto.

 
Como foi a produção do filme? Quanto tempo durou sua elaboração e dificuldades que encontrou?



A linguagem utilizada foi de um filme-ensaio, um cinema para reflexão. Fui colhendo depoimentos, textos, palestras, etc.... o que restou de sua memória nas pessoas, no tempo e em audiovisual. Depois, primeiramente, juntei intuitivamente as peças como em um quebra cabeças e assim o filme foi surgindo na montagem, na edição, sem um roteiro fixo. Deixei a obra se materializar, foi estranho para mim, pois eu gosto de organizar controlar tudo obsessivamente. Me formei em cinema em Paris na França, sempre trabalhei com a imagem e tenho uma boa experiência em documentários. Confesso que para mim foi um desafio enorme realizar este filme, no início me assustei com o tamanho da responsabilidade. O personagem é enorme e tentar sintetiza-lo, explicar o homem e o intelectual Herculano em um filme documentário não é coisa fácil para ninguém. Rizzini na biografia sobre José Herculano Pires afirma que “ele foi o que podemos chamar homem múltiplo.



 Em todas as áreas do conhecimento em que desenvolveu atividades... – sua inteligência superior iluminada pela doutrina espírita e pela cultura humanística brilhava com grande magnitude, fazendo o povo crescer espiritualmente. Herculano Pires foi mestre em Filosofia da Educação na Faculdade de Filosofia de Araraquara e membro da Sociedade Brasileira de Filosofia. Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo e fundador do Clube dos Jornalistas Espíritas de São Paulo, que presidiu por longos anos. Diretor da União Brasileira de Escritores e vice-presidente do Sindicato dos Escritores de São Paulo. Presidente do Instituto Paulista de Parapsicologia
Jorge Rizzini
(...). E, o que é mais importante: espírita desde os vinte e dois anos de idade, ninguém no Brasil e no estrangeiro mergulhou tão fundo nas águas cristalinas da Codificação Kardeciana e ninguém defendeu mais e com mais competência do que ele a pureza doutrinária (...) (Do livro J. Herculano Pires, o Apóstolo de Kardec, de Jorge Rizzini) Pensador, Humanista e Poeta, sim, ele ainda encontrava tempo para as poesias... enfim e com certeza, neste filme não coube tudo e muito ficou para outras abordagens e para novas leituras. Foram dois anos de produção com total liberdade autoral. Um convite para o futuro é um filme denso, sincero e sem apologias. O personagem tem ideias próprias e seu discurso se sustém pela coerência e nitidez. É um convite, uma degustação para ser desdobrada e realmente vivenciada com suas obras.
 
Em quais locais será exibido o filme e as datas para que os leitores possam assistir? 

Ainda está sendo montada esta agenda. Devido à enorme responsabilidade fizemos algumas exibições, testes, pré-lançamento, para sentirmos as reações e assim realizarmos os ajustes finais e é aonde estamos atualmente. Em breve será exibido nas salas de cinema de algumas capitais, sobretudo São Paulo, em seguida festivais, Now da Net, na TV a Cabo e finalmente em DVD com distribuição nacional e internacional. Estamos abertos a sugestões para espaços aonde possamos realizar exibições especiais. 

Qual seu envolvimento com o Espiritismo e sua visão pessoal sobre a doutrina? 


Sou espirita desde a minha infância e sempre o convivi com naturalidade. Dentro do meu universo intelectual e cultural, que é bastante aberto, ele coube sem dificuldades e ocupa um espaço importante. No espiritismo me achei e encontrei belas reflexões que muito ajudaram minha consciência e pude compreender o ser “Inter existente” que eu sou, um ser que vive em duas dimensões como nos expõe Herculano. “Para o homem-espírita construir a Civilização do Espírito é necessário que a viva em si mesmo, na sua consciência e na sua carne, pois é nesta que a relação da consciência com o mundo se realiza. E para isso não bastam os livros, é necessário o concurso de todos os meios de comunicação: a palavra, a imprensa, o rádio, a televisão, e mais ainda, a prática intensiva e coletiva dos princípios doutrinários, de maneira correta e fiel. Se o homem-espírita de hoje não compreender isso e dormir sobre os louros literários a Civilização Espírita abortará ou será transformada numa simples caricatura da fórmula proposta, corno aconteceu com o Cristianismo. E disto que os espíritas precisam tomar consciência com urgência. Ou acordam para a gravidade do problema ou serão esmagados pelo avanço irrefreável dos acontecimentos no tempo.” Herculano Pires.


O filme geralmente emite uma mensagem, em sua opinião, qual a relevante mensagem que o filme se propõe a transmitir?

Quero que todos cheguem a conclusão, e isto por conta própria, de o quão importante e desconhecido é o pensador Herculano Pires: “para que a humanidade atinja a verdadeira liberdade, no sentido espiritual, ético, moral, é necessária a reformulação social e cultural do mundo. Para se atingir esse objetivo, torna-se condição básica uma pedagogia estética que veja na educação o sentido profundo do ato de amor aos que nos rodeiam e educando-se o ser humano não como um indivíduo que nasce e morre em algumas décadas, mas como um Espírito imortal, cujo objetivo é buscar eternamente a perfeição.” 



Qual a importância da contribuição de Herculano Pires para fazer ver o paradigma espiritual como realidade existencial e não apenas uma religião? 



Novamente responderei usando o próprio, ele é a sua melhor propaganda: “O homem, as gerações humanas morrem no tempo, mas o Espírito não. O tempo é o campo de batalha em que os vencidos tombam para ressuscitar. Quem poderia deter a evolução do Espírito no tempo? A consciência humana amadurece na temporalidade. A esperança espírita não repousa na fragilidade humana, mas nas potencialidades do Espírito, que se atualizam no fogo das experiências existenciais. Curta é a vida, longo é o tempo, e a Verdade intemporal aguarda a todos no impassível Limiar do Eterno. O homem é incoerência e paixão, labareda esquiva que se apaga nas cinzas, mas o Espírito é a centelha oculta que nunca se apaga e reacenderá a chama quantas vezes forem necessárias, para que a serenidade, a coerência e o amor o resgatem na duração dos séculos e dos milênios.” 

Qual mensagem gostaria de deixar aos leitores do blog? 


Esta obra deve ser vista, já afirmei anteriormente, como um filme-ensaio, como um cinema de reflexão. Eu observei Herculano, procurei suas pegadas, e na sua obra, nas suas ideias, para minha mais grata surpresa encontrei uma verdadeira e indescritível satisfação intelectual. Ele nos impulsiona, nos dá apoio para localizar muitas das respostas que buscávamos. Algumas são aquelas que já temos consciência e outras que despertaram, que se revelaram em meu inconsciente. Herculano arou, preparou e semeou em terra árida, foi muitas vezes combatido e ignorado pelo próprio movimento espirita. É preciso difundi-lo para que todos possa experimentar seus frutos e tirar suas próprias conclusões. São frutos do amanhã. Deste frutos apartaremos novas sementes e continuaremos a semeadura. É um convite para o futuro. Não é um filme pensado, é um filme para pensar.

Edson Audi