Avatar

sábado, 24 de agosto de 2013

Uma Pausa para Gratidão


Às vezes é preciso fazer uma pausa, seja para refletir, para poder seguir adiante, para rever os atos e pensamentos e nos reposicionarmos perante a existência.

Não basta apenas viver, temos que participar, interagir, fazer nossas escolhas...este processo penso que deve ser contínuo, presente nos momentos bons e ruins, é capacidade que se usarmos bem, poderemos colher bons frutos. Não é isso que queremos?

Nas trocas de emails costumo afirmar exatamente isso, pois cabe a cada um de nós a avaliação da fase que atravessamos, geralmente nas mensagens escrevo algumas perguntas como por exemplo: essa situação lhe faz feliz? O que espera da vida, que dependa de seus atos para acontecer? Que bem está em suas mãos para ofertar? Assim, com algumas questões, que podemos fazer a nós mesmos, saímos do lugar comum e vemos mais longe. Sim, somos capazes disso e de muito mais!

Também faço minhas pausas para refletir, aliás esta faço aqui, junto de vocês.
Interessante observar que as relações nos oferecem aprendizado e sou grata.

Gratidão por cada mensagem, por dividirem comigo tantos pensamentos, orações, vibrações e sentimentos.

Acredito que recebo além do que ofereço e este bem que nos cerca, desejo que retorne como bênção a iluminar cada um de vocês!

Mais uma vez indico o grupo PAS para tratamento espiritual, feito à distância, com duração de 8 semanas; assim como a leitura saudável dos livros espíritas, passes, mentalizações e meditações, além da prece e todas as situações que nos trazem conforto e paz, muitas vezes fácil de serem feitas e que mudam nossos pensamentos.

Lembremos que os amparadores estão sempre a nos guiar, o que hoje é sofrimento também é lição para nosso melhoramento.

Deixo um texto sobre a gratidão e o bem e meu sincero agradecimento por cada palavra!


"Quando fazemos o bem, quase sempre estamos semeando para o futuro, cujos frutos aparecerão em momentos oportunos. As pessoas mais endurecidas, embora muitas vezes a princípio não demonstrem, são impactadas pelo exemplo daquele que pratica o bem. Não raro, quando desencarnam, a lembrança do bem que lhes fizeram vem à tona, contribuindo para o seu despertamento espiritual. Portanto, um benefício nunca é praticado em vão. Um exemplo dessa afirmação encontramos no capítulo 14, do livro Nosso Lar, em que o Ministro Clarêncio, ao ser procurado por André Luiz, que postulava trabalho na Colônia, informou-lhe que, graças ao bem feito por ele em favor do próximo, na Terra, quando médico, ainda que de forma displicente, estava sendo beneficiado, no mundo espiritual, com as preces dos Espíritos agradecidos pelas dádivas recebidas".