Avatar

domingo, 14 de julho de 2013

Reflexão sobre a Existência: Qual é o Chamado e Objetivos da Vida?

Recebi um email pedindo para falar sobre a vida, qual o chamado que consiste  o existir; e este tema é bem amplo, mas tentarei discorrer em alguns aspectos, sem esquecer de que o faço dentre minhas possibilidades.

Vamos refletir juntos? Sabemos que na doutrina espírita temos a reencarnação como meio de saldarmos dívidas e/ou aprendermos através de novas descobertas, lapidando nossa moral rumo a própria evolução.

Mas não sabemos em que estágio nos encontramos, porque, observe que entre saldar uma dívida passada e aprender, melhorar a si e, melhor ainda, conseguir auxiliar aos próximos, há uma série de aproveitamentos e lições que cabem, e fazem parte da vida, do processo de viver.

A lapidação então se faz necessária, a nossa própria, pois nos encontramos compartilhando a existência com outros indivíduos e querer mudar o outro é senão muito difícil, um ato de julgamento - julgamos que nossa forma de ser e pensar é a mais acertada , digo isso em um contexto amplo, lembrando que o auxílio também faz parte de nossa tarefa evolutiva.

Mas saibamos auxiliar, sem que isso signifique cuidar da vida e do interesse de outros.Existe aí grande diferença!

Relembre que a parte que carregamos no íntimo é que vezes necessita ser lapidada, ou seja, sentimentos inferiores, percepções desajustadas, ego inflado, apegos e há sem dúvida muito a aprender, conhecimentos a adquirir, experiências a experimentar - como poderemos evoluir sem haver conquistado antes estas condições? O chamado, como penso, é de crescimento e a vida oportunidade.
Há tempo para tudo, e cá estamos semeando, contribuindo ou não para melhorias - e sim, até as pequenas sementes vingam, se no bem. Já as que não se empregam ao bem precisam de reparo, e assim nova oportunidade em uma nova encarnação.

O que julga nossas ações é a própria consciência, quando falamos na doutrina ou em outras fés (e até além da fé) de reforma íntima é dizer que devemos todos atentar ao que estamos semeando, como estamos contribuindo, é conhecer a si, olhar para as fraquezas e burila-las e utilizar das forças para amparar, para servir.

Todas as experiências acontecem aqui, neste tempo que chamamos de vida e não estaciona com seu término, continuamos a aprender pois como Deus sendo justo e desejoso de nossa evolução nos guardaria apenas uma existência para tantos aprendizados? E ainda, que sentido haveria em desencarnar e passar a eternidade em repouso? Observemos que em tudo há movimento, então entendo que Deus não nos daria uma oportunidade tão limitante se fosse mesmo única e sem continuidade. 

A lapidação, assim se explica; para uma grande obra ser concluída é somente no passo a passo que se atinge o todo, é na escolha, na observação, na atuação, no movimento, nas relações com pessoas que são tão diferentes de nós, na dinâmica que é a vida.São estágios.


E o que lhe diz seu coração? Quais são os seus desejos e sonhos? Algo lhe falta?Algo que podes compartilhar? Algum entendimento por conquistar? Algum anseio em ver mudanças? Seja mudar a si ou as lástimas que vemos no mundo?

Vês aí também o quanto nos cabe? Some ainda que compartilhando a existência em família e sociedade quantos outros chamados não nos cabem de alguma forma...aos pais de ensinar, de educar, de amparo.
Aos filhos do respeito,cuidado e assim por diante, e em todas as relações amor.

Mas o amor também precisa ser burilado, até mesmo este sentimento com o qual já nascemos aptos.E o que é o amor senão for amplo? Do que nos adianta apenas vivermos sem termos ao menos tocado algum coração, em alguns momentos o nosso próprio. Cuidar de nós, de quem somos, daquilo que nos permite ir além. É preciso refletir, é preciso movimento, é necessário seguir.

Tudo no palco que é a vida. Há também doenças, medos, angústias, inquietações a serem observadas igualmente como lições, seja a nos recordar do tempo que é volátil, seja para nos mover a outros rumos ou um meio para nos conhecermos melhor.

Parafraseando a Jesus, muitos são os chamados!

“Porque eu vos digo em verdade: se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a essa montanha: Transporta-te daqui para ali. E ela se transportaria e nada vos seria impossível”.

Caminhemos amigos, refletindo estas palavras para todas as nossas escolhas e com fé no porvir.O chamado é este: a fé,o amor, a caridade e todas as nossas possibilidades de sermos melhores, de servir.