Avatar

sexta-feira, 24 de maio de 2013

O Suicídio e Suas Consequências


Este assunto merece nossa atenção visto que as estatísticas são preocupantes, de acordo com matéria publicada no portal G1 do ano de 2012, um milhão de pessoas por ano se suicidam, uma quantidade maior que o total de vítimas de guerras e homicídios, um problema que se agrava, segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) publicado em Genebra.


"A OMS destacou que as taxas de suicídio mais elevadas são a dos países do leste da Europa, como Lituânia ou Rússia, enquanto as mais baixas se situam na América Central e do Sul, em países como Peru, México, Brasil ou Colômbia. Estados Unidos, Europa e Ásia estão na metade da escala e não há estatísticas sobre o tema em muitos países africanos e do sudeste asiático" - G1.
"Uma pessoa se suicida no mundo a cada 40 segundos aproximadamente, ou seja, mais do que o número combinado das vítimas de guerras e homicídios", informou o relatório da Organização Mundial da Saúde.
O número de tentativas de suicídio ainda é muito grande, com 20 milhões de tentativas por ano. Segundo a OMS, 5% das pessoas no mundo fazem uma tentativa de suicídio pelo menos uma vez em sua vida.
O suicídio faz crer que todas as dores e problemas desaparecem juntamente com o corpo físico, no entanto havendo reencarnação (de acordo com a doutrina e estudos científicos já publicados no blog) o que parece ser um fim, na realidade, pela continuidade da existência acaba por se tornar um problema maior e mais grave.

A morte natural , seja por doença, de causas naturais ou acidente acontece dentro de um programa de existência organizado pelas Leis que a tudo regem; basta observarmos que tudo o que nos cerca acontece de acordo com uma Lei maior - as estações do ano, os estágios da vida, toda a natureza e seus ciclos, enfim, basta que observemos para percebermos de pronto.

Assim, o suicídio está fora do programa natural e o corpo espiritual ainda se encontra sob efeito magnético em relação ao corpo físico, esta energia magnética se desprende lentamente nos casos de doenças terminais por exemplo, visto que o corpo físico já não oferece resistência ao desprendimento que acontece lentamente. Casos de acidentes vezes levam maior tempo para desprender corpo físico  e espírito, variando conforme a situação.O suicídio é uma escolha que acontece estando o corpo físico sob efeito magnético, conservando fluidos necessários a manutenção da existência e que são rompidos drasticamente, assim é que o desligamento não acontece de pronto, levando considerável tempo até que as energias se esgotem.


Este primeiro momento é uma das torturas auto imposta que acomete os que optaram pelo suicídio como fuga, como a consciência ainda opera ao desencarnarem outras tantas torturas se somam ao quadro.Percebendo que não existe um repouso eterno, como pregado por algumas religiões ou um nada como professam os ateus, eis que se encontram com quadros de remorso, saudosos do que antes possuiam, mantendo as mesmas dores somadas as dores provocadas pelo modo escolhido para o desencarne (veneno, tiro, forca,queda,etc).

Quando desencarnado o indivíduo se manifesta através do perispírito, que por se tratar de uma envoltura plástica sofre como o corpo físico os abalos e deformidades ocasionados pelo suicídio e como estão muito ligados aos fluidos  materiais terrenos, sentem também dor. Expiam a falta cometida de variados modos, sem deixar de contar com o amparo divino de certo, mas pela Lei da ação e reação sofrem pelo mal que provocaram.Existem vários materiais disponíveis para estudo, incluindo livros, que permitem um estudo mais aprofundado da questão.

Sejamos fortes para continuarmos aqui, para que maiores problemas não venham a ser somados em novas existências, pois os casos de suicídio significam uma nova reencarnação com deficiência na parte afetada, quanto maior o prejuízo do perispírito maior a deficiência requerida no processo reencarnatório - e como as Leis de Deus são justas, oferece também pela reencarnação a possibilidade de lição, convidando a maior fé, valorização da vida, da família (pais,filhos,etc), das oportunidades e por assim ser, são justas visto que o erro permite ser sanado, ainda que de forma tão dolorosa.

Observemos Emmanuel, que, em notável estudo, sintetizou todas as conseqüências: "Os que se enveneneram, conforme os tóxicos de que se valeram, renascem trazendo as afecções valvulares, os achaques do aparelho digestivo, as doenças do sangue e as disfunções endócrinas, tanto quanto outros males de etiologia obscura; os que incendiaram a própria carne amargam as agruras da ictiose ou do pênfigo; os que se asfixiaram, seja no leito das águas ou nas correntes de gás, exibem processo mórbidos das vias respiratórias, como no caso do enfisema ou dos cistos pulmonares; os que se enforcaram carreiam consigo os dolorosos distúrbios do sistema nervoso, como sejam as neoplasias diversas e a paralisia cerebral infantil; os que estilhaçaram o crânio ou deitaram a própria cabeça sob rodas destruidoras, experimentam desarmonias da mesma espécie, notadamente as que se relacionam com o cretinismo, e os que se atiraram de grande altura reaparecem portando os padecimentos da distrofia muscular progressiva ou da osteíte difusa. 

Segundo o tipo de suicídio, direto ou indireto, surgem as distonias orgânicas derivadas, que correspondem a diversas calamidades congênitas, inclusive a mutilação e o câncer, a surdez e a mudez, a cegueira e a loucura, a representarem terapêutica providencial na cura da alma." 

Em relação ao suicídio indireto temos os vícios como exemplo ou situações de risco que são cometidas, pois encerram em si um processo destrutivo.Se necessitar de amparo, na situação em que se encontrar, busque auxílio ou ofereça auxílio aquele que necessita.


"Diante de alguma desilusão que te impulsione a perder o incentivo para o trabalho... Diante da incerteza que te visite, apontando-te as tentações e riscos que te ameacem... iante de mudanças imprevistas que te obriguem a pensar e a deliberar sem a escora de afetos com os quais já não contas... Diante da crítica destrutiva que te induza a desistir de cooperar na oficina do bem... Diante de seres queridos que te deixem a sós, sem comiseração por tua sede e necessidade de companhia... Diante de palavras impensadas, partidas de pessoas estimáveis que te façam mergulhar no poço da amargura... Diante do corpo doente e abatido que te lance o pensamento no deserto da tristeza e da insegurança... Quando a morte reduzir ao silencio a voz daqueles que se te fazem queridos... Quando qualquer sofrimento te abale os recessos da própria alma, entrega-te à fé, refugia-te em Deus, pensa em Deus, confia em Deus e espera por Deus, porque, acima de todas as tempestades e quedas, tribulações e desenganos Deus te sustentará."Emmanuel /Chico Xavier
Livro: Confia e Segue