Avatar

quinta-feira, 9 de maio de 2013

NÓS E OS OUTROS, UMA QUESTÃO DE REFLEXÃO





Refletir é repensar, convido a repensarmos sobre nossos problemas de convívio.

Normalmente mantemos o hábito de seguirmos a jornada acusando e julgando, sendo impacientes com familiares, no trabalho, no trânsito...onde estivermos.

Mas repense: será que não está em nós a falta de paciência?

Será que não somos nós que estamos excedendo nos julgos diante de pessoas que são diferentes de nós ou que pensam de modo desigual ao nosso?

Não seria razoável ao invés de cultivar inimigos e desafetos passarmos a cultivar compreensão?

São tantos os desequilíbrios gerados pelos enganos, causando separação, propagação da discórdia, intrigas, perseguições...

Conheço casos de famílias que deixaram de conviver com um ou outro parente por não tolerarem a simples presença, estando sempre a julgar e animar outros a terem a mesma conduta.

Chega-se ao ponto até de selecionarmos as pessoas, julgamentos preconcebidos por uma visão turva do ego, em razão da raça, credo, opção sexual ou condição social.

Seremos apenas pessoas pautadas por seleções? Seremos ou seguiremos crenças separatistas para a simples satisfação pessoal?

Creio sermos capazes de irmos além, de sermos independentes dos preconceitos nos tornando livres, nos permitindo um convívio sadio.

Livres para viver em democracia, livres para sermos felizes; não existe felicidade onde se instalam processos doentios de raiva, vingança, exclusão ou qualquer outro.

Apliquemos a moral não pelos nossos conceitos, mas avaliando o que sentiríamos estando no lugar do outro, vivendo as dificuldades do outro.

A intolerância é a razão de variados males – doenças, formas pensamentos, miasmas, crimes, afastamentos. Pensem em quantas vidas se perderam pela intolerância, ainda que muitas vezes disfarçadas como atos de “amor”.

Saibamos amar, sabendo respeitar! Este post é para refletirmos sobre nosso papel no caos que vemos no mundo; pessoas que por impaciência matam ou ferem, pessoas que por “amarem a seu modo” mais plantam discórdia e enganos, e, esta falta de conscientização dos indivíduos geram vítimas - sejam crianças, homens, mulheres, idosos, homossexuais, parentes, amigos ou animais.

Pessoas que acreditam e disseminam suas crenças voltadas a ver inimigos onde não há, muitas vezes usando falsamente o nome de Deus para alicerçarem seus atos.

Incapazes de verem o ser humano, exprimem em seus atos a pouca fé que carregam – Deus criou a todos nós, sem qualquer favorecimento, somos irmãos e juntos somos a imagem Daquele que nos criou.

 Este post é uma dedicação a todos que perderam entes queridos ou que foram/são vítimas de qualquer tipo de abuso, de discriminação, violência ou distanciamento; a melhor forma de protestar é chamar a atenção através de uma reflexão e compartilhar esta reflexão com aqueles que nos compete ensinar (filhos, familiares, amigos) , partindo de nós mesmos.


Como estamos atuando no nosso dia-a-dia, será apenas com nossos conceitos, a partir do nosso ponto de vista? Então podemos melhorar!

O que podemos fazer? Olhemos para nós, reflitamos sobre nós mesmos sem nos esquecermos do(s) outro(s).

Nossa evolução, nossas possibilidades, nossa harmonia, paz e saúde  se encaixam neste contexto, sejamos Luz!

Sejamos tudo aquilo que desejamos em nossas orações, em nossos desejos, lembrando sempre que o que doamos, recebemos.