Avatar

terça-feira, 16 de abril de 2013

SONO E SONHOS




Há 3 tipos de sonhos: fisiológicos, psicológicos e espirituais

Fisiológico: é aquele aquele que acontece com nosso corpo, se estamos com frio e a sensação não é capaz de nos despertar, poderemos sonhar com vento, gelo ou imagens afins a sensação fisiológica. Outro exemplo é sonhar com água e acordar pela necessidade de ir ao banheiro. 

Psicológico: é aquele que exprime nossos estados íntimos. Se estamos com saudades de um determinado lugar ou pessoa poderemos sonhar extamente com este objeto que teve nossa atenção durante o dia. Também, em relação ao trabalho, se preocupados com uma dterminada tarefa não completada ou reunião que faremos, é comum sonharmos executando estas ações em sonho.

Espiritual: é a lembrança de uma atividade desenvolvida pelo Espírito no mundo espiritual durante o sono. Kardec denomina essa situação como “emancipação da alma”.
Como podemos distinguir o sonho? Os sonhos de caráter fisiológico ou psicológico são fugidos, mal delineados. Os sonhos espirituais são mais nítidos, mais claros. Guardamos melhor.

Erick Fromm afirma que“o inconsciente só o é em relação ao estado normal de atividade”, “ são simplesmente estados mentais diversos, que se referem às modalidades existenciais diferentes.” Assim, podemos admitir que a mente consciente constitui apenas parte do psiquismo total. Existe uma vida psíquica chamada de “inconsciência”. Esta atividade psíquica é o principal protagonista quando o sono retira a outra de cena. Na realidade o inconsciente acha-se representado naquela fração do sonho que se registra na memória consciente.

Na visão espírita e de outras crenças é no momento do sono que nosso espírito se desprende do corpo físico, permanecendo ligado por um cordão fluídico (cordão de prata), e assume suas capacidades espirituais.


Como está descrito no Evangelho Segundo o Espiritismo, "o sono foi dado ao homem para a reposição das forças orgânicas e morais. Enquanto o corpo recupera as energias que perdeu pela atividade no dia anterior, o espírito vai se fortalecer entre outros espíritos".

Nos sonhos desta natureza também ocorrem as sintonias, ao nos desprendermos do corpo a sintonia é quem nos direciona igualmente.

Aqui se explicam ainda sonhos que após alguns dias ou meses acabam se tornando realidade ( déjà vu) ou a certeza de ter encontrado alguém muito querido, ouvido algum conselho ou mensagem.

Uma vez que a sintonia opera quando o espírito se ausenta do corpo, também é possível experimentar sensações ruins, acordar sem energia, sem ânimo, com a impressão de ter estado em algum lugar ruim.

Passe a cultivar o hábito de orar antes de deitar-se, dirigindo-se a Deus e aos seus espíritos protetores, pedindo força, discernimento e proteção durante a noite.

Para o espírito não há a necessidade de descanso, por isso o repouso é benéfico apenas para o corpo; o espírito livre pelo processo do sonho se revitaliza na liberdade.

Há pessoas que induzem o sono através da profunda meditação para realizarem estudos fora do corpo, como a chamada projeção astral. Neste ponto não somente os espíritas podem ter o domínio do que ocorre no mundo espiritual como qualquer pessoa, de forma lúcida.

Isso não é novidade e faz parte de algumas religiõese grupos de estudo. Ressalta-se apenas a necessidade de utilizar o meio para bons propósitos apenas e que sejam praticados por quem tem discernimento e estudo adequado; as experiências não são objeto de pura curiosidade, lembrando de novo da questão de sintonia.

A apometria faz uso desta técnica para realizar processos de cura por exemplo; culturas da antiguidade já utilizavam o sono para fins de aprendizado e cura.

Os distúrbios do sono pode ser curados através da medicina tradicional e com os passes; para melhor ilustrar recorrerei ao estudo feito por psicólogas da Universidade de São Paulo, com 2 mil crianças, no qual comprovaram que o método de tratamento pelos passes dá resultado.

O artigo a que me refiro é de Jefferson Silveira,  publicado na Revista "Contigo" nº 630 de 19 de outubro de 1987:



"Um estudo feito por psicólogas da Universidade de São Paulo comprova que o passe espírita (também chamado de fluidoterapia ou transferência de energia) é capaz de curar distúrbios do sono como: choro, gemidos, risos, gritos, pesadelos, insônia e sonambulismo durante a noite, que costumam atingir algumas crianças". 



Como primeiro passo da pesquisa, a pioneira do gênero no Brasil, as psicólogas Maria Regina de Andrade, professora da USP, e Jacira Lopes Rodrigues da Cruz, colheram dados sobre duas mil crianças que apresentavam aqueles distúrbios.



Escolhemos aquelas crianças, porque elas são mais vulneráveis às influências negativas como tensão e inveja.

Por isso, têm maior tendência a sofrerem esse tipo de problema, que os adultos" - explica Maria Regina.



"A técnica de transferência de energia já era conhecida pelos antigos egípcios", - diz a psicóloga. "Mas, enquanto diversos países da Europa, os Estados Unidos e União Soviética desenvolvem estudos avançados sobre o seu uso, na medicina do Brasil a sua difusão é limitada.

O passe não dispensa o médico e vice-versa. A Medicina e o Espiritismo se completam", diz Jacira.



Com a conclusão do estudo, as psicólogas escreveram uma tese, publicada em 1989, mas que só agora começa a chamar a atenção, e é uma importante fonte de pesquisa para médicos e cientistas que desejam saber mais a respeito do assunto.