Avatar

terça-feira, 28 de julho de 2015

Assédios: Um Assunto Amplo que Vai além do (Pré) Conceito de Afinidade

Como o próprio Kardec afirma, “Não há ...arrastamento irresistível, uma vez que se tenha a vontade de resistir”.

Boa tarde amigos! Todos bem? Esperamos que sim e com saúde e bom ânimo!

Lembramos que a Radio Fraternidade está com uma programação de cobertura de eventos imperdíveis, além de todos os demais áudios que nos auxiliam nas reflexões ou nos estudos.

Neste e nos próximos posts iremos abordar o tema obsessão, temos que ampliar nossa visão do tema, pois infelizmente algumas vezes é tratado de modo inadequado, desconsiderando as muitas situações, e são tantas que iremos dividir em alguns posts para que possamos refletir juntos e claro, contando com a opinião de vocês ou perguntas que tentaremos responder.

Para termos uma ideia inicial, a obsessão não significa apenas a sintonia com um desencarnado seja trazida de outras jornadas ou estabelecidas nesta atual. 

Precisamos considerar a questão do livre arbítrio ainda, assim o sentimento de "culpabilidade" na questão é de refletirmos sempre. Que queremos dizer com "culpabilidade"? É quando alguns textos insistem em colocar o assediado como o único e exclusivo "culpado" ou agente; quando se crê que todo processo de assédio, sem uma análise profunda da questão e de obras da doutrina, nos permite ver apenas um dos ângulos do cenário completo.

Na realidade não podemos observar questões sérias com um único pensamento e forma de avaliação, embora seja o caminho mais fácil, distancia-se do ideal.

Imaginemos um assediado que recebe como fonte de informação que dele mesmo se estabeleceu o assédio ao ler textos que os enquadram deste modo único...

Recebemos em mediúnicas estas observações que inserimos neste post de hoje e nos demais que virão na sequência.Importante nos atermos aos detalhes e nuances, como os espíritos amparadores e mentores nos afirmam:o estudo e a observação são de grande valia.

Deste modo propomos então um estudo ampliado da questão obsessão, tratemos alguns aspectos que vão além do livre arbítrio, incluindo até casos mais específicos, que no entanto também podem configurar processos de assédio, como canibalismo, personalidades múltiplas e assim por diante. Como podem ver o tema é amplo. Temos materiais da doutrina,que apresentam os assédios além da afinidade, talvez o mais notório sejam as análises de Hermínio C. Miranda.

Para traçarmos um paralelo utilizamos um exemplo, que já discutimos em posts anteriores e que surgiu como dúvida de alguns amigos leitores médiuns. A mediunidade é um todo, nós a categorizamos para melhor entendimento e observação por partes, assim, nada mais natural que alguns médiuns, dependendo do caso, venham a ter sua mediunidade aumentada, incluindo aspectos novos, não trabalhados anteriormente ou não desenvolvidos desde o despertar das faculdades mediúnicas.

Não significam então um problema como alguns amigos nos questionaram por email, a mediunidade pode sim ser ampliada ou diminuída, conforme cada caso e temos exemplos nos materiais de estudo.

Assim como a questão da mediunidade e os fenômenos mediúnicos, a obsessão também tem seus matizes. Quando falamos de livre arbítrio, desejamos compartilhar com vocês a possibilidade de um espírito por sua simples vontade passar a influenciar, desde que haja campo para tanto - aqui entra a nossa vigilância, incluindo o Evangelho no Lar, pensamentos equilibrados, preces...deste modo, equilibrados, diminuímos as brechas e nos distanciamos das influências nocivas.

Quando falamos de brechas não envolvemos apenas os vícios, mas pensamentos e sentimentos, atitudes desequilibradas.Eis que os assédios devem ser vistos e analisados com a devida atenção que merece.

Uma boa reflexão postada pelo site Grupo Ideal André Luiz, nos aponta a necessidade de refletirmos, abaixo o trecho que repostamos aqui:

Até que ponto os espíritos desencarnados podem nos influenciar no aspecto obsessivo?

Resposta:"O assunto é complexo e não podemos saber pormenores sobre esta tese, de vez que somos bilhões, com alguns bilhões de espíritos reencarnados e a maior parte sofre a influência de espíritos menos felizes ou menos preparados para a Vida Superior. A obsessão tem sido ampliada de tal maneira que ela assume aspectos múltiplos em qualquer demonstração que se queria fazer. Sendo uma situação tão difícil, o "não julgueis" da palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo deve estar em nossa consciência. Assim, devemos viver de tal maneira que sejamos nós mesmos e não o reflexo de espíritos estranhos a nossa vontade de seguir para frente no aprimoramento individual".


Recordam-se amigos de quando Chico Xavier sofreu com assédios na época que se mudou de cidade? Acreditou-se no início tomado de labirintite, identificando após, com auxílio do amigo mentor, se tratar de assédio pois que espíritos inferiorizados que não desejavam ver o bem espalhado através das obras de Chico, buscavam influenciá-lo , perturbando seu organismo físico.Como Chico já trabalhava sua mediunidade através da psicografia, o motivo neste caso nos mostra um caso de livre arbítrio e não de afinidade entre Chico e os assediadores.

Quem trabalha com reuniões mediúnicas as vezes apresenta a mesma situação, aliás, curioso, até mesmo o advogado católico Pedro Siqueira já se pronunciou sobre tal aspecto - ao realizar suas preces coletivas e conseguir manter contato com o que ele chama de santos (espíritos superiores em nossa doutrina) o mesmo passou a lhe ocorrer - a tentativa de detê-lo. Então fica a questão sobre a afinidade como único meio que estabelece o assédio.

No livro Maria de Nazaré, psicografado por João Nunes Maia através do espírito Miramez, também temos o assédio de forma ampla; ótima e elevada obra na qual nos afirma que Maria também era alvo de assédios de espíritos com intuito de perturbar as obras no bem. Na Bíblia, ainda traz a passagem dos assédios, sendo que Jesus também fora alvo - não seriam apontamentos que nos revelam o livre arbítrio dos espíritos inferiorizados ainda? 

Vamos a mais exemplos? 

Para análise postamos um vídeo, ao assistirmos este exemplo cabem as perguntas:

Que tipo de brecha estas crianças trazem para que o fenômeno ocorra? Que vícios? 

Que afinidade é esta que alguns afirmam ser necessária para que só então um espírito assediador venha a atuar? Não será questão de livre arbítrio? Um assediador, que apenas é um humano desencarnado, está livre de suas vontades? Não conseguimos compreender tal irresponsabilidade nesta questão quando alguns espíritas apenas observam sem lentes e estudos casos variados.

Se nos propormos a estudar, devemos considerar o livre arbítrio! Pois imaginar que cessa com o desencarne é engano grande. Como nos propomos a analisarmos com vocês variadas questões, eis mais uma, que na verdade é apenas o início de toda a abordagem do tema.


No YouTube o vídeo foi postado com alguns trechos destacados, os quais inserimos no post, vamos debater em conjunto? Gostaríamos de contar com a opinião de vocês. Abraços a todos e uma semana de luz a todos!

TRECHOS DESTACADOS DO VÍDEO:

O caso ganhou repercussão nacional. As possessões ocorrem na escola, as vítimas dos espíritos são alunos; um rapaz e várias meninas adolescentes.
O fenômeno ficou mais intenso em 2 de junho de 2010. Dois dias depois uma missa foi celebrada a pedido dos professores e funcionários, mas durante a missa as possessões voltaram a ocorrer. As aulas, então, foram suspensas e um padre parapsicólogo foi chamado para dar uma palestra na escola. Durante a palestra, o fenômeno aconteceu novamente e foi filmado; e as alunas possuídas foram levadas para um hospital.

QUEM É O ESPÍRITO POSSESSOR?
1:33
O repórter falou que JÉSSICA RODRIGUES disse que viu o Espírito de um aluno que morreu há 7 anos.
As meninas que viram o Espírito e foram entrevistadas pelos programas mostrados neste vídeo, incluindo a Jéssica, disseram que não o conhecem. Algumas falaram que ele aparece com uniforme escolar, mas que não sabem quem é. Ou seja, não foram elas que falaram que trata-se de um aluno que morreu há 7 anos, creio que essa é uma hipótese levantada pelos moradores da cidade.
JÉSSICA contou: "Ele é moreno, fica olhando pra gente, chama: 'vem aqui!' Quando tá na outra ele fala 'vou te pegar!' As meninas ficam com voz diferente".
ANA CÉLIA DE ARAÚJO disse não se lembrar do que aconteceu durante o transe.
3:05
BEATRIZ NASCIMENTO, de 12 anos, disse que o Espírito "é moreno, alto, a calça dele é azul... Ele fala com a gente".
JÉSSICA falou: "Basta chegar na escola que dá aquela dor de cabeça bem forte, e a gente vê uma porção de colegas caindo. A gente sente e desmaia".
9:13
BEATRIZ NASCIMENTO disse: "Eu me lembro que quando eu olhei para ele, desmaiei, e quando eu acordei, fui batendo em todo mundo. Só me sentia toda doída, sei lá, como se eu tivesse levado uma pisa".
O repórter informou: "O homem a que ela se refere é um ex-morador do bairro que morreu afogado nesta lagoa".
A mãe da estudante ANA CÉLIA disse para o repórter que quando a filha, há quase um mês, tentou tirar da água e salvar um rapaz que estava se afogando na lagoa, este abriu os olhos para ela e em seguida morreu. Acho que ela contou isso por achar que o acontecimento deixou a filha com medo e que por isso ela estava passando pelo fenômeno, e não por pensar que a filha estava vendo o rapaz que morreu afogado, mas isso confundiu o repórter. Quando o repórter perguntou se a filha dela estava vendo um rapaz morto, a mãe respondeu que estava, e que a filha diz que é o Antônio. Depois (17:16) ANA CÉLIA disse para o repórter que o rapaz que ela estava vendo não era o que morreu afogado na lagoa, e não quis revelar quem era.
11:00
JÉSSICA falou que o Espírito disse para ela que a Anja fez mal para ele.
ANDREIA SILVA, de 14 anos, falou que tentou se matar durante o transe, mas que não se lembrava, e que vê uma pessoa que quer matá-la, que "quer levar todos nós".
ANA CÉLIA disse que não se lembrava do que acontecia durante os transes.
19:22
O repórter perguntou para JÉSSICA quem era o Espírito, e ela respondeu:
"Aí eu não sei, ninguém quis dizer quem era, mas tinha uma mulher lá que sabia quem era. Tinha um Espírito dentro de mim e tinha outro do meu lado, que ficava olhando e chamando o que estava dentro de mim para sair. Aí o que estava dentro de mim disse que não ía, que queria minha alma para ele, que queria me levar junto com ele." 
30:14
Uma JOVEM DE 18 ANOS (aparece pela primeira vez neste vídeo) disse que não se lembrava do que acontecia durante os transes, que os outros é que contavam para elas. Mas falou que se lembrava de um rapaz que aparece durante o transe: "Eu vejo um rapaz de farda [uniforme da escola], acho que era um que estudava ali. Eu não conheço ele. É um escuro. Ele chama, acha graça, chama assim: 'vem cá!'"
A amiga (parece ser a BEATRIZ NASCIMENTO) falou que também vê esse rapaz: "É um rapaz de farda, moreno, alto. Ele fala com a gente, chama a gente. Ele diz que vai levar a gente".