Avatar

sexta-feira, 6 de março de 2015

A Lucidez e as Experiências No Corpo Físico

"Sendo assim, viva a sua vida  como um lindo amanhecer brilhante 
e ilumine as estrelas." - Almah(Warm Wind)


Olá amigos leitores, gostaria de compartilhar com vocês estes pensamentos. Dedico este post, bem como a música abaixo,  à minha amada e companheira de divulgação, Flávia. Abraços a todos, Alexandre Filho.





***

Um daqueles que você ama vai morrer. Debruçado sobre ele, o coração apertado, você vê estender-se, lentamente, sobre seus traços a sombra do Além. O fogo interior lança apenas pálidas e trêmulas luzes; e eis que se enfraquece ainda mais, depois se apaga. E agora, tudo o que, nesse ser, atestava a vida, esse olho que brilhava, essa boca que emitia sons, esses membros que se agitavam, tudo está velado, silencioso, inerte. Sobre esse leito fúnebre, há somente um cadáver! - Dessa maneira, forte e que nos remete aos pensamentos mais profundos sobre a existência - nossa e a dos que amamos - Léon Denis inicia sua magnífica obra "Depois da Morte".


A morte, quando estende o  Véu de Ísis sobre os que amamos, nos deixa, comumente, sem acreditar no que acabou de ocorrer. Demora um tempo para a "ficha cair" . Por que ?  Certamente pelo fato de o ente amado estar sempre ao nosso lado, tão presente que não conseguimos imaginar nossa vida sem ele. Mas, para além desta percepção, reside em nosso íntimo a certeza que somos seres imortais, mais do que isso, somos seres espirituais e isto entra em flagrante contradição com a ideologia materialista enraizada nos mais profundos escaninhos das instituições humanas, sempre enfatizando aqui e ali, ao pé dos nossos ouvidos, sussurrando: "Psiu, você vai morrer e quando isso acontecer, não poderá mais aproveitar todos os prazeres que a vida pode te dar, sendo assim, corra atrás dos seus interesses, os dos outros não importam, afinal no fim de tudo, não existirá ele e muito menos você, então aproveite !". Conscientes ou inconscientemente motivados por isso, agem os mais cruéis assassinos, estelionatários e psicopatas dos noticiários corriqueiros. Mas, e após a morte estender o seu véu sobre nossa face, o que será revelado a nós ? Nada a mais, na a menos do que as consequências dos nossos atos.




Recentemente, ao participar de uma reunião mediúnica, a dirigente geral do nosso grupo de trabalho, assim como de outros grupos mediúnicos,  se manifestou e iniciou um colóquio tranquilo e sereno conosco que estávamos na reunião, encarnados e desencarnados, quando, de repente ela começa a fazer uma prece, emocionada onde diz, olhando em direção ao chão com as mãos estendidas: "Calma, meus filhos, venham, com calma, devagar, é apenas uma experiência, vai passar" e continuou uma prece emocionada, chorando, pedindo a Deus que ajudasse a todos que ali estavam. Logo ao afinal da prece disse: "vão meus irmãos, vão com Deus". Explico: tal Espírito possui uma envergadura moral muito elevada, durante a prece inicial que realizava atraiu, pela sua simples presença, vários Espíritos que, sofredores, arrastavam-se pelo chão clamando ajuda. Todos foram amparados por ela. Emocionado ao assistir, de perto, um amparo tão impressionante quanto bonito, inevitável foi resistir à vontade de requisitar um abraço da mentora, porém não o fiz, apenas pensei na possibilidade. Em seguida Ela, por intermédio da médium, olha para um canto da sala e diz: "Se eu posso dar um abraço no Alexandre, Carlos ? Claro que eu posso !". Não esperando por aquilo, eu sorri e olhei para a mentora, que também sorriu e me deu o abraço. Meu pensamento fora interceptado pelo meu mentor, Carlos, que fez a solicitação para ela, que atendeu. Por que contei isso aqui ? Simples, quero que todos tenham pelo menos um pouco da sensação que senti e que possam saber, não crer, que a imortalidade da alma é uma realidade insofismável e, com esse sentimento, possam enveredar também pelos caminhos da assistência - e pesquisa - mediúnica, de forma séria, o que só se dá com o estudo e a reflexão. Saibam que médiuns equilibrados e pessoas com a capacidade de sair do corpo de forma lúcida são trabalhadores muito necessários para tarefas de amparo à desencarnados sofredores.


Ao refletir sobre o que ocorreu naquele dia, uma coisa me chamou à atenção: uma frase que evidenciou um alto nível de lucidez e compreensão das "engrenagens" do Universo: "é apenas uma experiência". Tal frase foi dita com tanta naturalidade, compaixão e entendimento que soou como alguém que, em algum momento, já passou pela experiência que aqueles Espíritos estavam passando no momento e que, devido ao acicate da dor - consequência do Livre-Arbítrio -, não conseguiam ver nada além de desespero que os obnubilava. Olhando para ela e para eles, sendo Ela uma projeção do que eles serão no futuro, facilmente compreendemos a necessidade da Reencarnação como a ferramenta necessária para fazer com que a Alma alcance um elevado nível de lucidez como o da mentora citada. Através da Reencarnação passamos por diversas experiências que nos instruem sobre o que é saudável ou não, aprendemos, literalmente, na pele, para que nós mesmos possamos tirar as nossas próprias conclusões sobre o que é ou não saudável para os outros e consequentemente para nós.





Estejamos cientes de que a morte não existe para a Consciência, para o Espírito. Aquele ente querido e amado não é a mesma coisa que o cadáver pálido estendido e inerte à nossa frente, não ! Aquele é apenas o escafandro que ele usou para viver mais essa experiência e aprender, assim como nós mesmo abandonaremos o nosso  para mais tarde voltarmos a usar um outro, em busca de novas experiências  e assim, um dia, brilharmos como as estrelas.