Avatar

quinta-feira, 20 de março de 2014

Minha Experiência em um Fenômeno Espiritual: O caso do garçom


459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos?
“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.”
                                                                                    Pergunta 459, de O Livro dos Espíritos.

            Olá, amigos. Venho aqui publicar um relatório sobre um fenômeno espiritual, por mim observado, em condições em que não há espaço para incredulidade, diante das circunstâncias do ocorrido. 
         Meus objetivos, ao tornar público, juntamente com a permissão do médium(o qual manterei no anonimato) através do qual o fenômeno ocorreu são:
         1- Deixar na Internet, para quem possa interessar, o relato detalhado do que ocorreu para que a pesquisa dos interessados nesse campo de estudo possa, de alguma forma, ser facilitada e para quem presenciar algo do tipo e estiver buscando na Internet uma fonte de pesquisa, possa usar a informação para comparar a sua experiência com a aqui postada.
         2-Tornar mais próximo, tanto quanto possível, o contato dos amigos do blog com fenômenos desse tipo, pois é minha firme convicção de que tais fenômenos possuem grande significado na sedimentação do paradigma espiritual lúcido, racional e equilibrado, que a passos lentos, é verdade, porém firmes, vem minando as bases do Materialismo devastador e ilusório que tantos males causa à alma humana, já tão carcomida pelas questões existenciais. Espero que gostem, um abraço,
Alexandre.

RELATO

         Na Sexta-feira, dia 07/03/2014, enquanto jantava, na companhia de um médium conhecido meu, observo que ele encontra-se com o olhar fixo para uma direção específica do restaurante, obstruída para mim por uma coluna. Pergunto então o que está havendo e após hesitar um pouco o médium responde:
         -Aconteceu de novo.(colocando a mão no rosto)
         -O que ? perguntei
       -Aquele senhor ali(um dos garçons do restaurante, um homem por volta dos seus 60 anos de idade) está aflito....tem alguém muito doente na família dele...uma mulher...estão me pedindo aqui para avisá-lo que independente do que acontecer para que ele fique calmo, pois ficará tudo bem.....mas e aí conto ou não para ele ?

         Ficamos em um impasse sobre dar ou não o recado ao senhor. No fim, nesse dia, o recado não foi dado.
           Na noite seguinte, novamente no jantar, o assunto voltou ao vemos o senhor novamente. Após um novo período de hesitação, afinal, e se o homem não tivesse ninguém doente na família ? Qual seria a sua reação ?  E se a percepção do ocorrido fosse incorreta ? O que aquele senhor acharia ? Após vencida a barreira, o médium resolveu ir ao encontro do senhor e lhe dar o recado:

         Médium - Com licença, eu não sei se o senhor vai acreditar em mim, mas eu tenho uma mensagem para lhe dar. Por acaso tem uma pessoa, uma mulher, doente em sua família, que seja próxima ?
           Garçom - Sim, mas qual delas ? 
           M - Eu não consegui ver direito, mas tem ?
           G  - Sim, minha mãe está doente.
        M - E o senhor, pelo que vi, está preocupado e me pediram para lhe dizer que se tranquilize. Me desculpe, não sei se acredita nisso.
         G - Sim, acredito  sim. Obrigado, estou preocupado com ela e também com a minha filha que está longe de casa pela primeira vez, estudando em São Paulo. Teria como você falar dela também ?
       M - A mensagem só me permitiu saber sobre a pessoa doente e que o senhor deve permanecer, independente do que acontecer, tranquilo.
          G - Obrigado, foi muito importante ouvir isso, como disse, acredito sim e gostaria mais de conversar com você quando terminarem o jantar. Saber mais coisas. 
          M - Infelizmente só tenho a lhe dizer isso.
          G - Sim, mas foi importante, me sinto mais tranquilo, porém queria saber também o que vai acontecer com a minha filha.
       M - Mantenha a sua fé, faça orações, desejo que dê tudo certo nos estudos de sua filha e que a mensagem tenha feito sentido para o senhor e se tranquilize. Fiquei em dúvida desde ontem, se deveria ou não lhe contar e o rapaz, que está comigo, jantando, me encorajou  a lhe transmitir o que lhe disse. Espero que não me considere invadindo a sua intimidade, entendo que pode parecer estranho.
        G - De modo algum, achei normal e queria saber mais....já tive contato com isso antes. Quero lhe agradecer, de verdade, como disse estava preocupado sim com a minha mãe, mas entendi que devo me tranquilizar. Farei isso.Se souber de minha filha também pode me dize.
          M - Na verdade não, apenas da sua mãe.
          G - Obrigado, direi à minha família, estão todos preocupados. Muito Obrigado.

***

O caso acima, nos mostra muito bem que nossos amigos espirituais estão próximos de nós, auxiliando sempre na medida do que podem, fazendo uso daqueles que, por uma questão de natureza própria e não como sendo pessoas especiais e diferente das demais, fazem a ponte entre os encarnados e os desencarnados.