Avatar

domingo, 22 de setembro de 2013

Antropologia, Sociologia e o Espiritismo



O livro “O Espírito e o Tempo – Introdução Antropológica ao Espiritismo”, publicado nos anos 60, é considerado o sétimo melhor livro espírita do Século XX. 
Segundo a própria obra, “Analisa a fase pré-histórica da criação, aborda o tríplice aspecto da Doutrina Espírita e a prática mediúnica”.
O autor, J. Herculano Pires, está entre os mais conceituados espíritas do Brasil; Filósofo que quando escreve parece receber orientação do Plano Celestial; defensor ferrenho da obra de Allan Kardec; espírito iluminado; pesquisador minucioso.
A obra acima citada nos informa sobre nossa caminhada evolutiva a partir da pré-história. Conforme Pires, a mediunidade existe desde sempre, por ser uma condição natural da espécie humana.
Com base nisso, garante J. Herculano, após pesquisar vários nomes consagrados, : “As superstições dos selvagens, as suas práticas mágicas, não eram nem podiam ser de natureza abstrata, imaginária, mas de fatos concretos, conhecidos desses selvagens, como o são de todos os homens, em todas as épocas em todas as latitudes da terra”.
O homem se desenvolve por meio de processo, partindo-se dos graus de adoração, que é um sentimento inato nosso. No grau mais baixo vem a litolatria ou adoração de pedras, rochas e relevos do solo. Após, a fitolatria. Adoram-se as plantas, flores, árvores, rochas. Em seguida, é a vez da zoolatria, em que os animais nos despertam a atenção, para depois chegarmos à mitologia com o seu politeísmo.
O homem parte do exterior, de objetos materiais, até atingir a fase superior, em que se entende: “A verdadeira adoração é a do coração”.

Outro livro , mais recente publicado em 2008 por Maury Rodrigues da Cruz : "ANTROPOLOGIA ESPÍRITA Campo de estudo, fatologia espírita, mediunidade, produto mediúnico, cultura espírita" aborda igualmente o tema, porém encontra-se indisponível para download.

Neste livro o autor , no segmento da pesquisa, possibilita o alcance da consciência crítica dos fatores antropossociais, tais como: a assimilação cultural, a migração do espírito de um grupo cultural a outro, as inter-relações do existencial na dimensão cognitica, afetiva, psicomotora e conativa, relaciona todo o conhecimento humano, mostra e traduz a possibilidade do indivíduo perceber através dos sentidos.

No campo da Sociologia, deixo um link onde é possível efetuar o download de vários livros que abordam o tema com fundamentação espírita:

Boa leitura!